Facebook
Contato
Mapa do Site
Acessibilidade
A+
A-
Contraste
Retornar acessibilidade

Notícia

Baixada avança na discussão da urgência e emergência


Publicado em: 16/11/2017 18:12 | Fonte/Agência: Comunicação Social / Cisbaf | Autor: Claudia Souza

Baixada avança na discussão da urgência e emergência

 

 

Fortalecer a atenção básica nos municípios para reduzir a demanda da urgência e emergência, estruturar em cada cidade uma porta de entrada de urgência e emergência, disponibilizar leitos de retaguarda com apoio da SES-RJ,  organizar o transporte municipal (ambulâncias Samu 192 e frota sanitária). Essas foram as principais definições da reunião ocorrida na manhã desta quinta-feira (16), na sede do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada Fluminense (Cisbaf). Com a participação do  prefeito de São João de Meriti e presidente do consórcio, Dr. João Ferreira Neto, o encontro foi coordenado pela  Superintendente de Regulação da SES-RJ, Kitty Crawford, de representantes da SES-RJ, do Centro de Operações GSE/SAMU (COGS), dos municípios, da Promotoria de Justiça, e dos diretores dos hospitais e UPAs da Baixada Fluminense.

O encontro foi um desdobramento da primeira reunião ocorrida no Rio a convite da superintendente Kitty Crawford, que pautou a necessidade de reestruturar o fluxo de atendimento ao paciente de urgência e emergência, bem como estudar caminhos que venham promover a integração de todos os entes em todas as esferas de governo ligados ao serviço.

Foi um consenso de que a grave crise na assistência da UE passa pelo subfinanciamento por parte do estado e do governo federal, assim como na falta de organização da rede de atenção básica de alguns municípios. Alguns municípios ainda não conseguiram reabrir suas unidades básicas de saúde, sobrecarregando as unidades dos municípios vizinhos e elevando a complicação do quadro de saúde, principalmente, dos pacientes crônicos. “A maior parte das prefeituras já investe na saúde acima dos 15% obrigatórios por lei”, como ressaltou o prefeito de Meriti, Dr. João. Uma das soluções apontadas pelos gestores para a real escassez financeira é a priorização, a otimização dos recursos em poucas estruturas que de fato ofereçam maior resolutividade no atendimento à população.

Durante o longo debate, a secretária executiva do Cisbaf, Dra. Rosangela Bello, pontuou novamente a necessidade da reativação do Comitê Gestor de Urgência e Emergência, a fim que se mantenha aberto e permanente um fórum de discussão e pactuação.

O prefeito Dr. João se comprometeu de buscar o apoio político necessário junto à bancada de deputados federais do estado do Rio de Janeiro a fim de viabilizar o acesso de pacientes da Baixada na rede hospitalar federal. “Mesmo com os hospitais federais em situação difícil, precisamos usar esses leitos e pactuar isso com o Ministério da Saúde, a SES e o município do Rio. Hoje, não temos regulação desses leitos e nossos pacientes morrem nos hospitais da Baixada porque estão superlotados e não conseguimos transferir nosso paciente para os hospitais federais que estão no Rio”, enfatiza o prefeito.

Ficou agendado um encontro no dia 06 de dezembro para a retomada do trabalho do Comitê Regional Gestor de Urgência e Emergência, na sede do Cisbaf.  Posteriormente, as definições pactuadas entre as esferas serão apresentadas na reunião da Comissão de Intergestores Regional (CIR) para aprovação e efetiva implantação.

         Participaram também da reunião o superintendente das Unidades Hospitalares SES-RJ, Diego Vieira; o coordenador de Urgência e Emergência da SES-RJ, Eduardo Lenini; a coordenadora de Enfermagem da SES-RJ, Silvana Pereira; o diretor do Centro de Operações GSE/SAMU (COGS), Márcio Moura Motta; a secretária de Saúde de São João de Meriti, Dra. Marcia Lucas; o secretário de Saúde de Mesquita, Dr. Emerson Trindade; as Promotoras de Justiça Márcia Lustosa, Denise Vidal e Carla Carruba; o diretor Geral e o diretor Médico do Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI), Dr Joé Sestello e Dr. Lino Sieiro Netto, respectivamente; o diretor Geral do Hospital Adão Pereira Nunes, Dr. Manoel Moreira Filho; representante da direção do Hospital Municipal Moacyr Rodrigues do Carmo, além de diretores das UPAs da Baixada Fluminense, e coordenadores municipais de Urgência e Emergência.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Voltar
Top